As provas concretas da existência de Jesus Cristo Parte 2


As provas concretas da existência de Jesus Cristo Parte 2

A ANÁLISE HISTÓRICA

“O argumento sobre a existência de Jesus Cristo é historicamente incontestável”

Certamente a frase a cima em destaque suscitaria a ira imediata de qualquer cético ou ateu, pois seria vista como conclusiva e altamente pretensiosa.
No entanto ela é verdadeira!

Ainda que muitos não aceitem a existência de Jesus Cristo como personagem histórico e Deus encarnado, esta posição conflitante não possui bases realmente sólidas. Os argumentos dos descrentes não podem e nunca poderão invalidar a existência histórica de Jesus Cristo como homem, profeta, líder, libertador, messias e Deus, pois encontramos todos os argumentos históricos, legais e arqueológicos já previamente estabelecidos.

Nenhum novo estudo ou nova teoria semelhante as que estão sendo levantadas ultimamente pode destruir a imagem outrora já estabelecida por testemunhas oculares, historiadores confiáveis e centenas de livros e referencias sobre o Homem Deus chamado Jesus Cristo.

Antes de analisarmos mais profundamente o contexto histórico da época messiânica gostaríamos de apresentar uma rápida análise sobre o julgamento histórico no que diz respeito a Jesus Cristo.

No artigo anterior vimos algumas perguntas e questões levantadas por pessoas que afirmam ser Jesus Cristo uma fraude. 

Estas pessoas esperam poder refutar o cristianismo baseando-se em suas conclusões. No entanto gostaria de colocar as perguntas sobre Jesus dentro de outro contexto, pois o que devemos perguntar sobre Jesus é se ele preenche todos os requisitos de um personagem histórico autêntico.

Para certeza de sua existência analisemos os seguintes pontos:
1. Existem provas de sua existência?
2. Existem documentos atestando isso?
3. Existem testemunhas oculares e contemporâneas?
4. As testemunhas oculares são confiáveis?
5. Existem outras fontes?
6. Existem artefatos arqueológicos que confirmam o registro histórico?
7. Como poderíamos ter certeza de que estes fatos ocorreram realmente?
8. Estes documentos sobre Cristo são confiáveis?

O que podemos encontrar nas narrativas feitas sobre Jesus Cristo é uma grande coletânea de informações em sua maioria bem objetivas, pois todos os critérios acima mencionados são perfeitamente preenchidos pela pessoa de Jesus.

Existem Provas de sua existência?

Encontramos provas de sua existência, já que seus ensinamentos levantaram uma multidão de discípulos, uma linha de seguidores que remonta ao primeiro século.

Existe uma tradição ininterrupta que pode ser seguida historicamente até o ano e pessoa em questão. Esta tradição afirma que existiu um homem chamado Jesus que cumpriu com tudo o que é afirmado sobre ele e que ele era Deus.

Ainda que tenha havido algumas distorções ou mesmo corrupção em determinados momentos dessa linha sucessória, isso não anula sua existência histórica.

As demais provas mencionaremos a seguir.

Existem documentos atestando isso?

Inúmeros documentos tanto pergaminhos como depoimentos escritos e reconhecidos por contemporâneos desse messias são encontrados aos montes. Estes documentos e narrativas gozam de total reconhecimento em seu próprio tempo. Ou seja. É um período registrado que não foi desmentido por ninguém.

Não houve sequer um historiador ou apostolo ou mesmo registro algum afirmando que esse Jesus era uma lenda ou mentira durante o período em que esta historia foi registrada, pois devemos levar em consideração que os primeiros escritos sobre Jesus Cristo surgiram ainda em seu próprio tempo. Sendo assim muitos poderiam ter se levantado e denunciado a mentira. No entanto não encontramos isso, pois todas as vozes registradas na historia durante essa época afirmam existir um Jesus Cristo e que ele foi crucificado e conquistou inúmeros seguidores.

Até mesmo inimigos do cristianismo nos seus primeiros períodos nunca afirmaram que Jesus era uma mentira, mas se referiram a Ele como sendo um agitador, ou mago e dissidente.
Esta afirmação de não existência tem sido levantada convenientemente nos nossos dias para tentar nos “empurrar goela á baixo” o ateísmo, ceticismo e rebelião contra Deus.

Existem testemunhas oculares e contemporâneas?

“Porque não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas engenhosamente inventadas, mas nós mesmos fomos testemunhas oculares da sua majestade” (2 Pedro 1.16)

Certamente, os relatos feitos pelos Apóstolos são claros e confirmados pela historia corrente. Eles mesmos afirmaram que foram testemunhas oculares e não somente isso, mas registraram na única fonte de documentação de sua época, além de darem suas vidas por aquilo que acreditavam.

Várias pessoas testemunharam acontecimentos do NT de modo independente, muitas das quais os registraram em sua memória, e nove dessas testemunhas oculares contemporâneas registraram suas observações por escrito.

Devemos levar em consideração que estas supostas testemunhas poderiam ter sido desmentidas imediatamente em sua época, mas isso também não ocorreu. De modo que inúmeras comunidades foram formadas e mantiveram suas versões como sendo verdade.

As testemunhas oculares são confiáveis?

O grande cético David Hume disse que, se vamos considerar as testemunhas dignas de crédito, então elas não devem ser tendenciosas. Desse modo, quando os céticos olham para os documentos do NT, freqüentemente perguntam: "Como você pode dizer que eram confiáveis, uma vez que foram escritos pelos convertidos? Esses são relatos tendenciosos escritos por pessoas tendenciosas". 

É verdade que os autores do NT eram tendenciosos e convertidos. Mas isso não significa que mentiram ou que exageraram. Na verdade, sua conversão e seu viés podem realmente tê-las levado a serem mais precisos. Vamos ver por quê. 

Alguns anos atrás, o assim chamado documentário sobre Jesus, transmitido por um canal de televisão, começava com o seguinte comentário do narrador: ''A maior parte daquilo que pensamos saber sobre Jesus vem dos evangelhos do NT: 

“Mateus, Marcos, Lucas e João. Mas não podemos confiar que esses livros apresentem uma informação precisa, porque foram escritos pelos convertidos.” 

Bem, o que há de errado com essa lógica? O que há de errado com a lógica é que deixa de fazer a pergunta mais importante: Por que eles se converteram? De fato, a primeira e mais importante pergunta não é "Qual era a crença dos autores do NT?". A primeira e mais importante pergunta é: "Por que eles se converteram a essas novas crenças?". Em outras palavras, por que os autores do NT repentinamente abandonaram seu meio de ganhar a vida e suas valiosas tradições religiosas em favor dessas novas crenças? 

Outro ponto também importante que deve ser analisado em relação a estas testemunhas é o fato de que elas não precisavam inventar uma religião ou um falso messias, pois não teriam nada a ganhar com isso. O que na realidade ganharam foi perseguição, tortura, prisão e morte.
Não existe nenhuma vantagem em se inventar tal coisa mesmo por que todos já eram religiosos convictos.

Existem outras fontes?

Conforme afirmamos na matéria anterior, Cristo é mencionado historicamente por 42 autores numa sucessão de 150 anos de suas vidas. Nove autores tradicionais do Novo Testamento. 20 escritores cristãos fora da Bíblia. Quatro escritores heréticos e mais nove fontes não cristãs

Existem artefatos arqueológicos que confirmam o registro histórico?

Basicamente todo o panorama do antigo e novo testamento pode ser reconstruído perfeitamente através da arqueologia conforme temos observado já há muito tempo.

O contexto histórico da época de Jesus é encontrado registrado em inúmeros artefatos, túmulos, inscrições, construções, documentos, personalidades históricas e objetos do século em questão.

Falaremos mais detalhadamente sobre este assunto em outro tópico nos próximos artigos.

Como poderíamos ter certeza de que estes fatos ocorreram realmente?

Por que alguém não poderia ter conhecimento de um fato passado? O cético pode dizer: "Porque você não tem acesso a todos os fatos!". A isso, responderemos: "Então os cientistas não podem saber coisa alguma, porque não têm acesso a todos os fatos". Isso é obviamente absurdo. Embora não possamos ter acesso a todos os fatos, podemos ser capazes de reunir uma quantidade suficiente deles para estarmos razoavelmente certos daquilo que aconteceu.

Estes documentos sobre Cristo são confiáveis?

Como os documentos do NT se saem nesse aspecto? Muito bem, melhor do que qualquer outro material do mundo antigo. De fato, os documentos do NT possuem mais manuscritos, manuscritos mais antigos e manuscritos mais abundantemente apoiados do que as dez melhores peças da literatura clássica combinadas. Veja a seguir o que queremos dizer com isso. 

Mais manuscritos. De acordo com a última contagem, existem cerca de 5.700 manuscritos gregos do NT escritos à mão. Além disso, existem mais de 9 mil manuscritos em outras línguas (e.g., siríaco, copta, latim, árabe). Alguns desses quase 15 mil manuscritos são bíblias completas, outros são livros ou páginas, e somente alguns são apenas fragmentos. Não existe nada no mundo antigo que sequer se aproxime disso em termos de apoio a manuscritos. A obra mais próxima é a llíada, de Homero, com 643 manuscritos. A maioria das outras obras antigas sobrevive com pouco mais de uma dúzia de manuscritos. Contudo, poucos historiadores questionam a historicidade dos eventos que essas obras registram. 

Muitos ateus e ceticos usam da desonestidade para tentarem invalidar estes documentos afirmando que são falsos ou que foram escritos em seculos posteriores e por isso foram adulterados pela igreja ou por pessoas que visavam por meio da opressão religiosa escravisar as massas atraves da superstição.

No entanto isso não passa de mais uma atitude desesperada e incrivelmente ridicula de ocultar uma verdade já bem estabelecida.

O que nos prova que estes documentos e no caso o novo testamento que não só conta a historia de Jesus Cristo mas tambem de sua igreja e seus seguidores são realmente do primeiro seculo e não de seculos posteriores?

Simples! O novo testamento era literatura corrente ainda no primeiro seculo depois de Cristo. É possivel através de escritos feitos por homens como Justino Mártir, Ireneu, Clemente de Alexandria, Orígenes, Tertuliano e outros recosntruir complertamente o novo testamento. 

Fizeram tantas citações do NT (36.289 vezes, para ser mais exato) que todos os versículos do NT, com exceção de apenas 11, poderiam ser reconstituídos simplesmente de suas citações.
Através destas citações destes homens do primeiro século e também de inúmeros pergaminhos correntes na época hoje preservados, concluímos sem sombra de duvidas que todos os escritos que falam de Jesus, ou seja, o Novo Testamento foram escritos antes do ano 100 d.C. aproximadamente 70 anos após a morte de Cristo.

Em cartas de apenas tres escritores, Clemente, Inácio e Policarpo escritas entre os anos 95 e 110 d.C. são citadas 25 dos 27 livros do NT apenas os pequenos livros de 2 João e Judas não foram mencionados.

DOCUMENTOS DO NOVO TESTAMENTO CITADOS POR:
Clemente,
Inácio
Policarpo
 escrevendo de Roma (c. 95 d.C.)
escrevendo de Esmirna, na Ásia Menor (c. 107)
escrevendo de Esmirna, na Ásia Menor (c. 110)
Mateus
Mateus
Mateus
Marcos
Marcos
Marcos
Lucas Lucas Lucas
Romanos João João
l Coríntios
Atos
Atos
Efésios Romanos
Romanos
1 Timóteo
l Coríntios
l Coríntios
Tito 2 Coríntios 2 Coríntios
Hebreus Gálatas Gálatas
Tiago Efésios
Efésios
l Pedro Filipenses Filipenses
Colossenses Colossenses
1 Tessalonicenses 2Tessalonicenses
l Timóteo l Timóteo
2Timóteo 2 Timóteo
Tito
Hebreus
Filemom l Pedro
Hebreus
l João
Tiago
l Pedro
2 Pedro
l João
3 João
Apocalipse
Se levarmos em consideração que Clemente vivia em Roma e Policarpo e Inácio estavam em Esmirna a centenas de quilômetros de distancia e que estes homens viveram ainda no I e II século, os documentos que compunham o Novo Testamento precisariam ter sido escritos muito tempo antes para poderem ter circulado por todo o mundo antigo daquela época e serem conhecidos por estes.

Este fato situa os escritos do Novo Testamento exatamente no primeiro século.

CONCLUSÃO

Neste artigo fizemos apenas uma rápida analise histórica sobre as evidencias relacionadas à existência de Jesus Cristo.

O que podemos entender quando estudamos este tema é que a historia de Jesus é uma das mais bem expostas em relação a provas e embasamento histórico.

Devemos nos perguntar ainda se seria possível que tal historia fosse apenas uma invenção?

Por que os Apóstolos inventariam um Messias como Jesus? Um Messias que iria completamente contra os conceitos de sua própria religião.

Por que inventariam um messias que seria crucificado e conforme está escrito foi um escândalo para os judeus e loucura para os gregos? (1Cor 1:23)

Por que não inventaram um Messias libertador político e líder forte como Moisés? Assim teriam tido o apoio de qualquer judeu em sua época.

Como homens simples e sem cultura seriam capazes de inventar um Jesus com ensinamentos tão perfeitos e ao mesmo tempo tão contraditórios a sua própria religião e cultura?

Como um mito que eles mesmos inventaram os levariam a enfrentar 250 anos de martírios e perseguições? Tertuliano (?220), de Cartago escreveu : "o sangue dos mártires era semente de novos cristãos". 

Devemos levar em consideração que não somente os apóstolos e seguidores de Jesus afirmaram terem sido testemunha do Messias, mas também enfrentaram todo o império romano e morreram por aquilo que acreditavam.

Dadas estas análises resta-nos apenas esta pergunta:

12 comentários:

  1. Nós que estamos em Cristo, não precisamos de provas documentais, para provar relatos bíblicos, como o julgamento de Poncio Pilatos a Cristo ou qualquer um outro;
    Mas, para os que ignoram as grandes verdades reveladas na bíblia, a prova de um documento jurídico, pode servir de resposta a algumas duvidas.
    Estava fazendo uma pesquisa na net, sobre a sentença de Pilatos a Jesus; achei em arquivo PDF (texto abaixo), no site WWW.micropic.com.br
    Continuei a pesquisa mais refinada, direcionando a busca para a veracidade do escrito; abaixo do texto da sentença de Poncio Pilatos, está o resultado da segunda pesquisa.
    Confirmam a autenticidade, dão informação do nome do museu "Archivo General de Simancas", sentença número 847 , catalogo número 847 e Sessão"Asuntos de Estado" .
    Também está presente nos sites abaixo:
    Site jurídico WWW.jus.com.br
    Também no Site WWW.advogado.adv.br

    Com fim de acrescentar informações ao Blog.
    Estamos Nele.

    ResponderExcluir
  2. Venha nos dar o prazer de ter sua presença.
    Temos a seção - Religião.
    Não deixe de visitar a seção “Parceiros” - http://nabocadosapo.com/parceria e aumente suas visitas. Confira as vantagens.
    Na Boca do Sapo – Mais visitas para a sua página
    Desde já agradecemos por sua atenção!

    ResponderExcluir
  3. Mais importante do que ter existido é continuar existindo e pra quem ressuscitou, nada melhor do que aparecer e mostrar que ainda existe.

    ResponderExcluir
  4. Jesus cristo nosso senhor , restaurara toda a terra em um belo paraiso como ele mesmo falou no sermao da montanha,em mateus 5. 5 citando o salmos 37. 9-11 esse dia se aproxima rapidamente, quando ele remover todo governo que esta em oposicao ao governo de seu pai. Jeova, leia 2corintios 15. 24-28 isso e maravilhoso. viver no nvo mundo que Deus prometeu aos seus servos fieis .

    ResponderExcluir
  5. Jesus cristo nosso senhor , restaurara toda a terra em um belo paraiso como ele mesmo falou no sermao da montanha,em mateus 5. 5 citando o salmos 37. 9-11 esse dia se aproxima rapidamente, quando ele remover todo governo que esta em oposicao ao governo de seu pai. Jeova, leia 2corintios 15. 24-28 isso e maravilhoso. viver no nvo mundo que Deus prometeu aos seus servos fieis .

    ResponderExcluir
  6. Olá Pastor divulgo sempre suas matérias, só queria referência de q igreja evangélica o amigo é??
    Obrigado, responder no email:adirtaio@yahoo.com.br
    Urgente!!!

    ResponderExcluir
  7. olá, o titulo do artigo fala que esse e o capitulo 2 de 5, mas eu nao encontrei as partes 3,4 e 5, porque? nem no google, nem no site e possivel achar...espero que me responda, abraço

    ResponderExcluir

  8. Independente de qualquer prova científica ou histórica sobre a existência de Jesus, o que importa é a fé. É nisto que Deus se agrada. É como diz a palavra: "sem fé, é impossível agrada à Deus." ou "bem aventurados são os que não viram e creram..."

    ResponderExcluir
  9. O cristianismo nada mais é que a copia de muitas tradições religiosas de povos antigos, todos os documentos apresentados para provar a existência real de Cristo foram forjadas. Nem mesmo os Evangelhos são aceitos como provas históricas de sua suposta existência. E é incrível como pessoas do século XXI enchem a boca para falar "eu sou cristão". Pessoas assim merecem toda a exploração que sofrem pelas sus doutrinas.

    ResponderExcluir
  10. Tá, Jesus existiu. Fato. Mas isso não faz com que Jesus tenha sido divino. Buda também existiu e era tido como iluminado. Maomé também existiu e se dizia conduzido por deus. O fato de esses homens terem realmente existido não prova que eles eram divinos. Entre ser um homem e ser um homem divino, existe um abismo enorme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem buda nem Maomé se diziam divinos, mas Jesus disse claramente: "Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade eu vos digo: Antes que Abraão existisse, eu sou.(João 8:58)"
      "Tornou a interrogá-lo o sumo sacerdote, e lhe disse: És tu o Cristo, o Filho do Deus Bendito? Jesus respondeu: Eu sou, e vereis o Filho do homem assentado à direita do Todo-poderoso vindo com as nuvens do céu." (Marco 14.61.62)

      Excluir
  11. Todos os imbecis que contestam a existência de Jesus se dizem "ateus, graças a Deus".

    ResponderExcluir

Atenção! Seus comentários estão sujeitos a moderação e filtro de palavras.

1 - Evite palavras ofencivas
2 - Comente somente sobre o tema
3 - Faça comentários relevantes
4 - Evite comentários repetitivos

Seguindo estas regras terá seu comentário publicado certamente!